quarta-feira, 6 de julho de 2011

Caminho


CAMINHO

O prefeito inverso de felicidade, torna-se presente
Que loucura…
São assim ecos, bem rudes os meus versos
Com rimas perdidas, vendavais dispersos.
São punhados de lúcidas verdades,
De caminhos selvagens e de loucuras,
Triste…dilacero o coração
Por no meio de ruídos, encontrar a solidão.
Sou cinza que se desfez, em chamas de endoidar,
Sonhos de uma certa vez…
Foram-se para além do mar.
A lua disse-me:
-Encontra o caminho.
Sem resposta parei de andar.
Escrevi velhos pergaminhos, em horas mortas e a soluçar.

1 comentário:

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui