quarta-feira, 23 de setembro de 2009

SER



SER
Este ser inacabado, que almeja com sofreguidão
Entregar-se sem pudores, ao encanto da ilusão.
Esta mente ansiosa, louca, demente
Sonha com quimeras, Invernos, Primaveras
Dias de sol ou tempestade,
Sim…
Momentos para sentir saudade.
Vento que chega com sabor a tempero apimentado
Pele na areia, corpo salgado
Dia de sol ou nublado.
Sim…
Aquele beijo louco e quente que incendeia o corpo molhado
O abraço envolvente
As estrelas como telhado.
Areias que se colam sem pedir licença
Invadindo recantos, os mais secretos
Acompanham o ritmo da paixão
Decifrando línguas em vários dialectos.
Sim…
Este ser inacabado, que almeja apenas emoção
Entrega-se ao devaneio para matar a solidão.

5 comentários:

  1. Oi Maria, lindo poema para uma linda imagem. Adorei
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Querida Maria :-) contente por regressar ao v/ aconchego.
    Tem aqui muitos poemas lindos para eu passar as minhas noites a devorar.
    Nestes tempos dificeis secaram-se as palavras e molharam-se as faces...mas agora estou aqui.
    Beijinhos e obrigada.

    ResponderEliminar
  3. cara Poetisa

    Lindo trabalho,lindo escritos. Parabéns

    ResponderEliminar

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui