terça-feira, 22 de setembro de 2009

MOMENTOS


MOMENTOS

Ao som da agua que bate na roxa
Escrevo o teu nome na areia,
Suspiro de mansinho
Ao relembrar o que a minha fantasia anseia.
Ao longe, em uníssono
Interrompem o meu pensar
Vozes…vozes e mais vozes
Que regressam devagar.
A água bate em mim
Como que me chamando á atenção
Que os sonhos são miragens
Não se chega lá com a mão.
Olhando as pedras duras
Perfeitas mas em desalinho
Penso com ternura
Não me sinto sozinha.
Esta vida feita de momentos
Sempre cheia e preenchida
Com encantos e desencantos
Tudo faz parte da vida.
E ao som das gaivotas apago o teu nome
Vou guarda-lo para mim
Com um carinho sem fim…

2 comentários:

  1. Maria,

    Muito obrigada pela tua visita e comentário.
    Gostei bastante do que li por aqui... Eu adoro poesia!
    Só não me adiciono aos seguidores porque eles não estão a aparecer, penso que é um erro, pois está a acontecer o mesmo noutros blogues.

    Até breve!

    ResponderEliminar
  2. A tua escrita tem brilho e reflexos.
    A tua poesia não é miragem pois toca nos corações de quem sente.

    Bjs

    ResponderEliminar

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui