quinta-feira, 23 de julho de 2009

MAGIA


Depois da voz que embalou os pensamentos,
Do som da chuva que batia levemente,
A imaginação corria como que por magia
Dizendo coisas que ninguém entende!
Como diamante que a alma alumia
Em caminho escuro, velha correria!
Mesmo longe… distante…
Quimera ou fantasia.
Um sonho de pecados, segredos guardados.
Esta paixão estranha, que a alma entranha,
É bailado de pura fantasia
Em lânguidas noites, ou madrugada fria.
Sinto perfume, ou o cheiro da terra molhada,
Cai a noite sobre as hastes do jasmim
Loucura, ou necessidade
De flores no meu jardim

4 comentários:

  1. Mais uma vez estou encantada com a
    sua poesia.Bjs

    ResponderEliminar
  2. A imaginação corria como por magia
    Dizendo coisas que ninguém entende. Mas entende-se perfeitamente são palavras de magia e de fantasia. Bjo

    ResponderEliminar
  3. Tem mesmo muita magia o teu poema.
    O sonho de pecados, segredos guardados...
    Segredos revelados na escrita.

    Bjs

    ResponderEliminar

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui