quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Lágrimas


Meu lago triste,

Tu te encheste.
Meu amor fez-te transbordar
Lágrimas.....
Mil caminhos percorres-te
Tudo, porque não soube amar
Hoje, longe, tão longe
Do velho ritmo da paixão
Vejo no espelho
Do meu lago a tua mão.
Lânguidos os abraços
Vistos á distancia
Sabor de apaixonados
Regresso de infância.
Tempos de amores
Ventos, tempestades
Sorrisos e lágrimas
Desgostos, saudades.
Lágrima cristalina
Pureza infinita
Longa a corrente
De uma vida bonita.
Julgava que era, sem ser
Sombra da água corrente
Vagueava perdida na vida
Seguindo o coração carente.



9 comentários:

  1. Lágrimas que têm tantas formas,
    e de tantas saiem...

    ResponderEliminar
  2. Há lagrimas de tantas formas e tantos sentimentos, sentidas ou não...São lágrimas....

    :)) tenha um bom fim de semana

    :)) Beijjjjjjjjjjjjjjjjj

    ResponderEliminar
  3. Olá boa noite,

    Fiquei de facto bastante nostálgico ao ler este teu lindo poema.

    “Sorrisos e lágrimas

    Desgostos, saudades.

    Lágrima cristalina

    Pureza infinita”

    Fico com este pequeno excerto na minha memória, e com a lágrima cristalina a querer pender dos olhos.



    Beijo

    ResponderEliminar
  4. convite para seguir a história de Alice , lá no --- continuando assim --- ainda vai no princípio :) espero que gostes

    bj
    teresa

    ResponderEliminar
  5. Maria ,
    passei aqui para te conhecer melhor... e que encanto de Blog!
    Amei ler tuas poesias: beleza e sentimento - paixão!
    Parabéns, querida.
    Beijos n'alma

    ResponderEliminar
  6. Parabéns...

    FELIZ DIA...
    Bjs

    Água e mulher, um único ser.
    A fonte, a nascente, a origem.
    O néctar, a essência rara
    que habita a lembrança.
    Quando sua face se refletir
    no espelho d’água
    irá vê-la límpida,
    refletindo seus claros sentimentos.
    Verá que a luz dos seus olhos
    roubará o brilho d’água.
    Será as flores da primavera,
    as brisas do outono.
    O sol do verão.
    O silêncio do inverno.
    Por isso haverá de gerar,
    de constituir-se em nascimento
    e crescer sob o calor do seu olhar,
    energia plena que emoldura o mundo .
    Poderei observá-la em silêncio
    e lhe desejarei com pudor.
    E você se encantará
    com meu olhar de menino.
    E espreitará repousar
    no ninho de meu coração.
    Ali, então, fará morada.
    Ali será seu abrigo seguro,
    seu pedacinho do mundo
    e o seu todo.
    E então se fará deusa,
    mito unitário de si,
    para ser adorada pela fé
    que tenho em mim.
    E será minha fonte
    de água pura,
    líquido a saciar
    e fertilizar o meu deserto.



    Gilberto Brandão Marcon

    ResponderEliminar
  7. Maria,
    As lágrimas ganham tantas formas consoante o que sentimos, mas todas elas devem ser cristalinas porque sentidas na sua verdadeira essência. São tantas as lágrimas que do meu rosto deixo cair e, todas elas com um sentido expressivo do meu intenso sentir.

    Obrigada pela visita, mas estou a voltar da minha pausa, fi-lo hoje e, com lágrimas...

    Bjo amiga de Luz

    ResponderEliminar
  8. Bom dia,Maria.
    Lindo poema.

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui