sexta-feira, 3 de abril de 2009

UTOPIA


Vagueio por sitio nenhum

Entregue á utopia

Atravesso, não embarco

Conquisto tormentas

Cruzo montes e vales

Desbravo com caneta e papel

Com olhos que não vêem

Com pincel que não tenho.

A minha vontade cobarde

De sonhar, velha quimera

Passo pelo querer

Existo sem ser

5 comentários:

  1. Querida adorei o poema,
    não concordo com o "existir ser ser"
    existes e é muito um Ser maravilhoso.

    Obrigada por ter trazido o selinho da causa autista.

    Beijinhos e bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  2. Amei o poema!

    Triste...sofrido!
    Gostei do último verso "Existo sem Ser".

    Bjs.
    Lisa

    ResponderEliminar
  3. Cheguei até aqui através da Lisa_B,
    escreve muito bem, li alguns poemas e gostei muito, parabéns!!!!!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Olá de novo!

    Vi que estiveste no meu "cantinho"

    Obrigada pela visita.

    Bjs

    Lisa

    ResponderEliminar

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui