domingo, 19 de abril de 2009

ALMA DOENTE


Aquelas palavras terríveis
Marcadas para magoar o comum dos sofredores
Voltam sempre á memória
Sobrepõem-se aos valores.
Desliza a água na ribeira
Lentamente calma e bela
Como lágrimas que escorrem
Deslizando no rosto dela.
Cada uma, pura e cristalina
Transparente no olhar
Só não vê quem não repara
A alma a soluçar.
A dor da alma dói mais
Pois não se consegue curar
Por muito esforço que se faça
Não se consegue lá chegar.


5 comentários:

  1. Querida Maria,
    não sei dizer porquê mas este poema tocou-me em especial.
    Lindo como todos que de ti fluem.
    Beijinhos meus

    ResponderEliminar
  2. Uma belissima imagem no sentido do belissimo título e respectivo poema...

    ResponderEliminar
  3. Palavras muito sentidas!

    Eu espero que um dia lindo esteja a esperar por ti! E te faça novamente sorrir!
    Tenha uma semana repleta de dádivas.
    Deixo um beijo carinhoso

    ResponderEliminar
  4. "Palavras terríveis marcadas para magoar...". Lembranças que doem. Lindo poema que diz muito e deixa muito mais para intuir.

    ResponderEliminar
  5. Que coisinha fofa este teu texto...
    Tão simples e bonito.
    Terei de voltar para apreciar o teu belo modo de escrita

    Bj

    ResponderEliminar

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui