sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Lágrimas


Em cada lágrima que corre
No silêncio do desespero
Vão passando imagens em desalinho.
Tanta coisa que se perde,
Na ânsia de tudo querer!
O aconchego de um abraço,
A musica mal ouvida,
Porque, tudo é sempre a correr…
Falta tempo, para ter tempo,
Falta um pouco, que é muito afinal.
São as lágrimas, as lembranças,
Que o muito, nem sempre chega.
Falta tempero, o recheio solidificado.
O chocolate derretido, como rio nas entre linhas.
É o sabor agridoce, na paragem dos ponteiros
Do relógio de parede,
Mas, o tempo não para,
A lágrima não seca.
O rio percorre por entre margens
Sem fim á vista
Mas um dia desaguará...
 

1 comentário:

  1. Desaguar é o que faço neste blog sempre que vejo que foi actualizado.
    bjs

    ResponderEliminar

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui