sexta-feira, 13 de maio de 2011

Emoções


Um dia encontrei-te simplesmente por acaso…
Descobri-te aos bocadinhos…deliciada deixei-me levar,
Simplesmente enamorar…
Quando dei conta estava embalada, pela musica que tocava,
Que contigo partilhava.
 Ao som do trinar de uma guitarra
Suspirávamos pelo primeiro beijo…
Um encontro desejado, talvez para saciar o desejo.
Queria tão pouco, contigo partilhar,
Fazer o que ainda não foi feito
Que me deixava sonhar.
É pedir de mais ao universo, talvez mais uma utopia,
Porque dois não fazem o que um sonha
Realidade nesta magia.
Imaginei ser um pouco tua,
Mesmo longe queria ter-te…
Deixei minha alma nua, mas preferi perder-te.
Por entre carícias imaginarias,
Ao som da tua música deliciosa
Preenchi horas solitárias, numa balada harmoniosa.
Esta página tão perfeita, acabou por ficar em branco,
Qual velho pergaminho, encontrado em desalinho,
Mas belo com o seu encanto.
Palavras por escrever, que sempre virão á memoria,
Saudades traiçoeiras, sempre verdadeiras,
Rasgam a história.
Uma história que não existe,
Por não chegar-mos a partilhar,
Simplesmente ficção, nesta minha solidão,
Neste meu embalar…ao dormir…ao acordar…ao deitar.

1 comentário:

  1. A pior das solidões é aquela que sentimos apesar de acompanhados...


    Beijos meus!
    AL

    ResponderEliminar

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui