terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Perdida



Estou farta


Dum vazio de coisa nenhuma

Do sono que não tenho

Do pesadelo que sou

Choro lágrimas anormalmente

Percorro estradas sem fim

Nunca sei para onde vou.

8 comentários:

  1. Amei este post de hoje,talvez porque me diz imenso...............

    hahahahahahah


    :)) Beijjjjjjjjjjj com muito carinho

    ResponderEliminar
  2. Palavras sábias e com um sentido profundo.
    Revi-me nas tuas belas palavras.

    Gostei

    ResponderEliminar
  3. Minha querida
    Lindissimo poema...triste mas lindi.

    Adorei...porque os meus também choram tristeza.

    beijinhos

    Sonhadora

    ResponderEliminar
  4. não há nada melhor que não saber para onde vamos
    e o que vamos encontrar depois daquela curva
    mas podemos sempre meter umas pedrinhas pelo caminho
    para saber sempre regressar a casa
    parabens pelo blog e fica bem

    ResponderEliminar
  5. O troar do trovão, esta incessante chuva
    As estrelas choram todas as mágoas na terra
    Onde param os Anjos, porque não nos acodem os Santos
    O mal e o bem porfiam esta eterna guerra

    As casas do sul ruiram todas
    Tal como a esperança desesperada
    Toquei no rosto de uma criança triste
    Senti uma paz surgir do nada


    Mágico beijo

    ResponderEliminar
  6. Maria,
    Como este poema é perfeito no sentir, na descrição desse mesmo sentir que em tantos momentos sentimos.
    Creio que sei o que é este sentir, revejo tantos momentos sentidos.
    Gostei deste teu sentir ainda que triste, mas belo na sua essência.

    Bjnh de Luz

    ResponderEliminar
  7. Breves palavras que tanto dizem...
    Um abraço
    Chris

    ResponderEliminar
  8. "O choro pode durar uma noite mas gozo vêm pela manhã" continue a seguir o caminho que tanto procura pois nem todos os sonhos são perdidos.
    Bjs

    ResponderEliminar

widgets.amung.us

Seguidores

Quanto já leram por aqui